Para adquirir nossos folhetos e demais materiais para palestras







Movimento em Defesa da Vida da Arquidiocese do Rio de Janeiro
Notícias

Dez mil pessoas participaram de Ato Público em São Paulo contra o aborto

Em 24/03/2007, cerca de dez mil pessoas - conforme estimativa da Polícia Militar - participaram do evento organizado pela Federação dos Movimentos em Defesa da Vida do Estado de São Paulo e pelo Comitê Paulista do Movimento Nacional Por um Brasil Sem Aborto, na Praça da Sé. Representantes de vários credos, entre os quais o padre Marcelo Rossi, juristas, professores universitários, e líderes da sociedade civil pronunciaram-se contundentemente CONTRA o abortamento provocado em TODA e QUALQUER circunstância: "Matar uma pessoa ainda no ventre materno é um CRIME, e jamais poderá ser considerado um direito" foi uma frase repetida por praticamente todos eles.

O objetivo principal do evento foi informar a população da tramitação do Projeto de Lei 1.135/91, que juntamente com seu substitutivo, propõe a legalização do aborto até o 9o mês de gravidez sem qualquer restrição. O Projeto propõe a supressão do artigo do Código Penal que classifica como crime o abortamento provocado pela gestante ou com seu consentimento. O Projeto - de autoria do Deputado Eduardo Jorge (PT/SP) e que obteve o parecer favorável da relatora, a Deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) - já passou pela Comissão de Seguridade Social e Família em dezembro de 2006. Outro objetivo do evento foi o de alertar a população sobre frases enganadoras que porventura possam ser propostas por entidades e parlamentares pró-aborto em um eventual Plebiscito, a exemplo do que aconteceu em Portugal.

Muitos grupos pró-vida de outras cidades e estados juntaram-se aos grupos pró-vida locais, entre eles, a Associação Nacional Mulheres pela Vida, o Cidadãos pela Vida, o Juventude pela Vida, e o Movimento em Defesa da Vida da Arquidiocese do Rio de Janeiro. Milhares de panfletos esclarecendo a população sobre o desenvolvimento do bebê no ventre materno foram distribuídos aos transeuntes, e podia-se ler muitas faixas - defendendo a vida intra-uterina e condenando a prática e a legalização do aborto - espalhadas por toda a Praça da Sé. Missão quase cumprida, porque a luta pela defesa da vida continua!



        voltar à página Notícias

Ser contra o abortamento provocado de bebês no ventre materno é uma questão ética, já que todos os seres humanos, independentemente da sua idade, ou de qualquer outra condição, têm a mesma dignidade de pessoa humana. É também uma questão científica, visto que há décadas a Ciência afirma que a vida humana começa no momento da concepção, com a primeira célula, o zigoto. É, ainda, uma questão jurídica, uma vez que todo ser humano tem, como o primeiro dos direitos, o direito natural à vida, da concepção até a morte natural. Finalmente, é uma questão também religiosa porque cada um de nós tem, acima de tudo, a dignidade sobrenatural de filho ou filha de Deus.