Para adquirir nossos folhetos e demais materiais para palestras







Movimento em Defesa da Vida da Arquidiocese do Rio de Janeiro
Notícias

Bogotá: CELAM pede criação de Comitês de Bioética

Reunido na Colômbia, de 23 a 25/09/2008, o Conselho Episcopal Latino-Americano (CELAM) pediu que as conferências episcopais que o integram fomentem a criação de Comissões Diocesanas e de Comitês de Ética e Bioética, para que a Igreja e a sociedade possam enfrentar a chamada "cultura da morte", que em todo o mundo vem promovendo as pesquisas com células-tronco embrionárias, o abortamento provocado, e a autanásia, entre outros ataques à vida e à família.

"As Comissões cuidariam da conscientização da sociedade a respeito da dignidade e do valor da vida humana, e os Comitês teriam um caráter mais acadêmico e consultivo", explicou Dom Antonio Augusto Dias Duarte, bispo auxiliar do Rio de Janeiro e responsável pela "Seção Vida" do CELAM. Ele acrescentou que "o próprio CELAM iria propor um modelo de Estatuto para os Comitês, e em seguida as Conferências Episcopias fariam as adaptações necessárias conforme as suas necessidades".

O senhor bispo disse ainda que "o CELAM incentiva a criação de uma Rede Latino-americana e Caribenha pela vida para a troca de informações, experiências e recursos humanos".


        voltar à página Notícias

Ser contra o abortamento provocado de bebês no ventre materno é uma questão ética, já que todos os seres humanos, independentemente da sua idade, ou de qualquer outra condição, têm a mesma dignidade de pessoa humana. É também uma questão científica, visto que há décadas a Ciência afirma que a vida humana começa no momento da concepção, com a primeira célula, o zigoto. É, ainda, uma questão jurídica, uma vez que todo ser humano tem, como o primeiro dos direitos, o direito natural à vida, da concepção até a morte natural. Finalmente, é uma questão também religiosa porque cada um de nós tem, acima de tudo, a dignidade sobrenatural de filho ou filha de Deus.