Para adquirir nossos folhetos e demais materiais para palestras







Movimento em Defesa da Vida da Arquidiocese do Rio de Janeiro
Notícias

Profecias da Humanae Vitae

O texto abaixo foi escrito pelo Padre Paul Marx, OSB, fundador da Human Life International, poucos dias antes do seu passamento.

A encíclica Humanae Vitae, publicada em 1968, reafirmou o ensino católico sobre a vida, o amor e a sexualidade humana. Naquele documento, o Papa Paulo VI predisse as consequências da contracepção: (1) a infidelidade conjugal; (2) a “redução geral da moralidade”; (3) o desrespeito dos homens às mulheres, a quem passariam a tratar como “meros instrumentos de prazer egoísta”, e, finalmente, (4) a imposição em massa da contracepção por parte de governos inescrupulosos.

Em outras palavras, o Papa Paulo VI predisse que a contracepção deixaria de ser uma “uma escolha de estilo de vida” para tornar-se uma arma de destruição em massa. Prova disso são os programas de controle populacional, os programas coercivos de esterilização, as cotas de redução de fertilidade, e a promoção do aborto em todo o mundo.

A destruição que a contracepção provoca na integridade do ato conjugal, que é unitivo e procriativo, acarreta consequências terríveis para a sociedade e para as nossas almas. A contracepção é a rejeição do plano de Deus; é uma ruptura da comunhão mais íntima que temos além da comunhão que experimentamos com Ele no Santo Sacramento; é um veneno degradante que definha a vida e o amor no casamento e na sociedade.

Ao quebrar a conexão natural e divinamente ordenada entre sexo e procriação, as mulheres e os homens, mas especialmente os homens, passaram a ver o sexo de modo exclusivamente hedonista. Assim, as pessoas já não conseguem ver o sexo como algo intrinsecamente ligado à criação de uma nova vida e ao sacramento do casamento.

Alguém duvida de que essa é a situação que temos hoje?

Fonte: http://www.lifesite.net/ldn/viewonsite.html?articleid=10032314



voltar à página Notícias

Ser contra o abortamento provocado de bebês no ventre materno é uma questão ética, já que todos os seres humanos, independentemente da sua idade, ou de qualquer outra condição, têm a mesma dignidade de pessoa humana. É também uma questão científica, visto que há décadas a Ciência afirma que a vida humana começa no momento da concepção, com a primeira célula, o zigoto. É, ainda, uma questão jurídica, uma vez que todo ser humano tem, como o primeiro dos direitos, o direito natural à vida, da concepção até a morte natural. Finalmente, é uma questão também religiosa porque cada um de nós tem, acima de tudo, a dignidade sobrenatural de filho ou filha de Deus.