Para adquirir nossos folhetos e demais materiais para palestras







Movimento em Defesa da Vida da Arquidiocese do Rio de Janeiro
Notícias

Morre Zilda Arns, a fundadora da Pastoral da Criança

É possível que cerca de 200 mil pessoas tenham morrido em conseqüência do terremoto que assolou o Haiti, o país mais pobre do continente americano, em 12/01/2010. Dentre as vítimas estava a fundadora da Pastoral da Criança, a médica sanitarista paranaense Zilda Arns Neumann, 75 anos, mãe de cinco filhos e avó de nove netos.

A Pastoral da Criança foi fundada em 1983 e hoje tem cerca de 300 mil voluntários em todo o país trabalhando para combater a desnutrição infantil junto a cerca de 1,5 milhão de famílias em mais de quatro mil municípios brasileiros.

Em 2008, quando a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) propôs a Campanha da Fraternidade com o tema “Fraternidade e Defesa da Vida”, freqüentemente a doutora Zilda Arns dizia em suas palestras da Pastoral da Criança em todos os cantos do Brasil que era contra a legalização do aborto porque a "vida é inegociável" e que a mortalidade materna relacionada à gestação apenas diminuiria quando melhorassem as condições de assistência ao pré-natal e ao parto.


voltar à página Notícias

Ser contra o abortamento provocado de bebês no ventre materno é uma questão ética, já que todos os seres humanos, independentemente da sua idade, ou de qualquer outra condição, têm a mesma dignidade de pessoa humana. É também uma questão científica, visto que há décadas a Ciência afirma que a vida humana começa no momento da concepção, com a primeira célula, o zigoto. É, ainda, uma questão jurídica, uma vez que todo ser humano tem, como o primeiro dos direitos, o direito natural à vida, da concepção até a morte natural. Finalmente, é uma questão também religiosa porque cada um de nós tem, acima de tudo, a dignidade sobrenatural de filho ou filha de Deus.