Para adquirir nossos folhetos e demais materiais para palestras







Movimento em Defesa da Vida da Arquidiocese do Rio de Janeiro
Notícias

Nicarágua rejeita volta de aborto terapêutico e reafirma sua posição em favor da vida

O Governo da Nicarágua rejeitou rever o pedido da Anistia Internacional de restituir o chamado aborto terapêutico, penalizado desde 2006, e reafirmou sua postura a favor da defesa da vida desde o momento da concepção. O anúncio foi feito pela esposa do presidente Daniel Ortega, Rosário Murillo, que é coordenadora do Conselho de Comunicação e Cidadania.

Na Nicarágua não se permite nenhum tipo de aborto desde que em 26/10/2006 a Assembléia Nacional reformou o Código Penal e passou a penalizar o aborto terapêutico, que era permitido desde 1891, em casos de risco de vida da mãe, danos irreversíveis ao embrião ou feto, e em casos de estupro ou incesto.

Fonte: www.aciprensa.com, em 03/08/2011


        
voltar à página Notícias

Ser contra o abortamento provocado de bebês no ventre materno é uma questão ética, já que todos os seres humanos, independentemente da sua idade, ou de qualquer outra condição, têm a mesma dignidade de pessoa humana. É também uma questão científica, visto que há décadas a Ciência afirma que a vida humana começa no momento da concepção, com a primeira célula, o zigoto. É, ainda, uma questão jurídica, uma vez que todo ser humano tem, como o primeiro dos direitos, o direito natural à vida, da concepção até a morte natural. Finalmente, é uma questão também religiosa porque cada um de nós tem, acima de tudo, a dignidade sobrenatural de filho ou filha de Deus.