Para adquirir nossos folhetos e demais materiais para palestras







Movimento em Defesa da Vida da Arquidiocese do Rio de Janeiro
Notícias

Ministra Nilcéia Freire vai levar proposta de descriminação do aborto para OAB e Conselho de Medicina

Infelizmente, depois de levar uma cópia da minuta do projeto de lei que prevê a descriminação do aborto para o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Nelson Jobim, a ministra Nilcéa Freire, da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, entregará ao Conselho Federal de Medicina (CFM) e à Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) uma cópia da minuta do projeto que propõe a descriminação do aborto até a 12ª semana de gestação, ou até a 20a semana, quando a gravidez é fruto de violência sexual. O objetivo é tentar obter apoio para a tramitação do projeto no Congresso. O projeto foi elaborado por uma comissão tripartite criada pelo governo para rever a lei do aborto. O projeto também determina que planos de saúde serão obrigados a arcar com as despesas com o procedimento, qualquer que seja o tipo de plano e sem necessidade de cumprimento de período de carência. A deputada Ângela Guadagnin (PT-SP), que é contra o aborto, participou dos trabalhos, e pediu para constar no documento que o texto havia sido aprovado "com ressalvas".



        voltar à página Notícias

Ser contra o abortamento provocado de bebês no ventre materno é uma questão ética, já que todos os seres humanos, independentemente da sua idade, ou de qualquer outra condição, têm a mesma dignidade de pessoa humana. É também uma questão científica, visto que há décadas a Ciência afirma que a vida humana começa no momento da concepção, com a primeira célula, o zigoto. É, ainda, uma questão jurídica, uma vez que todo ser humano tem, como o primeiro dos direitos, o direito natural à vida, da concepção até a morte natural. Finalmente, é uma questão também religiosa porque cada um de nós tem, acima de tudo, a dignidade sobrenatural de filho ou filha de Deus.